Os dias da Recriação. Antonio Gil 4ºCAPÍTULO, SEGUNDA NOITE: 4.1- Nos seus Sonhos, Sigma cria um novo ficheiro: as coisas que são tão previsíveis que até causam náusea (C.Q.S.T. P.Q.A.C.N. )

Os dias da Recriação. Antonio Gil

4ºCAPÍTULO, SEGUNDA NOITE:
4.1- Nos seus Sonhos, Sigma cria um novo ficheiro: as coisas que são tão previsíveis que até causam náusea
(C.Q.S.T. P.Q.A.C.N. )

A Ouvir: Carregando ...

(Faça um like na opção por favor)(Pode ouvir o texto no final da página)

 

Estava Eu na Sala do Tempo, diante de uma série de janelas abertas no sector SF -C.Q.S. T. P.Q A C N) a ver o grande rombo que um certo país levaria por causa de certos futeboys, quando um borburinho em crescendo me tirou do Sério: abri a pesadona porta já atrás descrita Foi o próprio Gaby quem me pôs a par das notícias de lá de baixo:
- O pessoal anda num grande alvoroço: esta manhã, Ivan e Adamina espatifaram-te as hortênsias .
- Ah ah ah, são mesmo previsíveis estas crias de humanos – reagi bem disposto.
- Como? Não estás zangado?
- Oh, Eu já o previa- gabei-Me com toda a propriedade já que ninguém tinha mais Poder que Eu- a última vez que fui lá abaixo disse-lhes: meus caros podeis partir o que quiserdes que eu estou-me nas tintas, podeis até depenar as aves do Paraíso que não me zango, mas livrai-vos de tocar nas minhas hortênsias.
- Mas foi as tuas hortênsias que eles pisaram- surpreendeu-se Gaby.
- Pois, eu sei, ainda bem. Se há coisa que eu não suporto é hortênsias.
- Então.ah já percebi: tu proibiste-os de fazer a coisa que querias que eles fizessem, não é?
- Vês como chegaste lá? Eu sei-a toda, que pensas? Agora, em vez de chegar lá e me fazer ofendido, levo a coisa no gozo para que eles percebam que este Deus é mais esperto que eles, que os leva a fazer aquilo que quer, sem ameaças, expulsões, vinganças e essas coisas feias.
- Ah – disse Gabriel aliviado- e também querias que fizessem gazeta à escola?
- Hein?.eles.
- Sim, efectivamente, as hortênsias não foram a única coisa em que te desobedeceram.
- Bonito, temos um mundo novo, ainda não poluído pela televisão e outros lixos, temos um casal humano primordial (por enquanto fedelhos, mas por pouco tempo, considerando os suplementos vitamínicos que tomam) e que acontece? Saíram-me ambos uns bons cábulas. E que raio anda a fazer o professor? A propósito, quem é o professor?
- Lúcifer, o Anjo que tu despromoveste.
- Logo vi.e esse por onde anda? Compareceu no seu posto de trabalho?
- Não, ao que parece, está de baixa médica.
- Ah, eu sabia, eu sabia.isto é um complot.
- Um complot?- indagou o jovem e inexperiente Gaby- quem se atreveria, sabendo que tu és o Tal?
- Oh, Gaby, se há raça que não corre riscos de extinção é a dos ingratos.
- Mas.foste tu, Sigma, que, ao carregares num botão, nos fizeste a todos.
Ingénuo este -pensei com a fivela do Meu cinto de crocodilo- mas apressei-me a concordar:
- Que queres? Está na massa do sangue das minhas criaturas achar que tudo lhes é devido.
- É verdade, eu também penso que o vosso problema é o excesso de generosidade. Sois demasiado bom!!!
Havia de ir longe, o pequeno, registei, no meu caderno de trabalho. Mas não havia tempo a perder com elogios, por isso.
- Gaby, vai-me aprontar o Carrão Celeste. Sim, o de dez mil cavalos, quero causar furor quando chegar lá abaixo, topas?
- Sim senhor-disse- ele batendo a pala. E lá foi, mui gaiato e feliz. Grande Gaby, pensei, vou fazer de ti meu braço direito. Pouco depois um som de mil-e-tais relinchos indicou-me a presença do Celestial Corcel, desta vez com uns retoques de minha autoria: nada de pedras preciosas e outras coisas próprias de novos ricos deslumbrados: uma chaparia de ouro maciço e um design mais aerodinâmico bastam para abrir a boca dos bacocos. Gaby ajudou-me a subir, e deu ordens a Chaufel: para a Terra , por favor.
- Segurem-se- disse ao arrancar com a potência de dez mil Apolos. Caí esparramado para trás e ia protestar quando ele disse:
- Façam favor, chegámos ao destino!
Como? já Estávamos na Terra ? No Jardim do Paraíso? Parecia que sim, do lado de fora, uma chusma de mirones se juntara, todos anjos caídos, naturalmente.
- Oh Senhor –disse-me um deles- quando voltar para cima, pode-me levar um recado para Norael?
- Ah, por mim, gostava de mandar uma encomenda!
Acabei com aquilo: a um gesto meu, o comité de pedintes foi retirado da minha vista. Chegado à escola, disse logo ao que vinha:
- senhor Anjo Feitorel, responsável pelo pelouro da educação deste mundo recém-criado, venho, como encarregado de educação, saber do desempenho dos meus educandos Adamina e Ivan, que, ao que julgo saber, têm andado a faltar às aulas ministradas pelo senhor professor Lúcifer.
- ah! Sim, sim, ouvi falar desse caso.
- Esse caso?- atalhei-o logo, furioso- por Acaso, o senhor tem outro caso em mãos, que não a do par primordial?
- Eh? Bom, não podemos reduzir o sistema de ensino à relação aluno-escola não é verdade?
Era lata a mais! Tratei de pôr os pontos nos ii’s:
- E neste caso há mais o quê? Família, não houve, os fedelhos vieram para cá sozinhos, ainda bebés, contexto cultural? Nicles, zero, pevas. Vá lá, meu Génio: que mais desculpas tens? Se falhas assim com duas únicas crianças, como aguentarias duas mil, vinte mil, no teu sistema de ensino?
Uma pergunta de resposta impossível e ele sabia-o. Ainda assim, tentou repartir culpas.
- Pois! Eu bem disse ao Lúcifer que devia ter cuidado, que educar crianças não é brincadeira nenhuma.
- Lúcifer- quase me tinha esquecido – porque razão não está ele aqui também?
- infelizmente, só o Senhor Sigma pode saber- disse, humilde, o meu ex-ministro da Educação- com efeito, ele está incontactável desde que os garotos desapareceram da nossa faixa de vigilância.
- Eu sabia!-disse furioso- o canalha desencaminhou os miúdos. Ele está apostado em arruinar o meu plano. Imagino o que vai ser deste mundo se não subtrair os catraios à sua influência nefasta. Ah, mas eu apanho-o, ò se apanho.
- Ninguém sabe onde está- disse semi-ufano, o despromovido.

Os dias da Recriação. Antonio Gil

4ºCAPÍTULO, SEGUNDA NOITE:
4.1- Nos seus Sonhos, Sigma cria um novo ficheiro: as coisas que são tão previsíveis que até causam náusea
(C.Q.S.T. P.Q.A.C.N. )